Textos


Empáfia
 
- Meus óculos? Onde estão meus óculos?
Rodei e procurei onde poderiam estar, lembrei-me de uma coisa que minha mãe dizia:
Galinha de casa não se corre atrás. Ele há de aparecer!
 
De repente, me dei conta, foi muito bom ter perdido os óculos, assim, não li o jornal de domingo, com os mesmos assuntos, dos ladrões e dos roubados...
 
Conformado, fui para a varanda e olhei a praia. Com o olhar desfocado, vislumbrei milhares de pessoas se movimentando, a maioria na areia, alguns mais afoitos enfrentando as ondas, como se fossem verdadeiras formigas, circulando na porta do formigueiro.
 
Refleti:
- Hitler deve ter esquecido os óculos, e vislumbrado, como eu, pessoas como se fossem insetos...
 
Ri do meu pensamento idiota, mas, pude perceber a grandeza do mar, diante da pequenez das pessoas. Meu pensamento continuou:
 
- Como alguém pode ter a empáfia de se entender grande, poderoso e prepotente, sem perceber a sua infinita pequenez diante da natureza? Pensamentos prepotentes, em mentes insignificantes!
 
A todos aqueles que ainda não perceberam a sua verdadeira dimensão, indico retirarem seus óculos, e se verem como formigas, como insetos, e possam descartar a empáfia, dos que se imaginam como reis da cocada preta, e tenham um ótimo domingo!   

 
elzio
Enviado por elzio em 04/02/2018
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários


Imagem de cabeçalho: raneko/flickr