Textos


Soneto da partilha
 
Meu coração é urbano,
Mas, minh’alma é rural.
Vivo no cotidiano,
Uma divisão sem igual.
 
Essa vil dicotomia,
Que me rasga e partilha,
É quem gera a poesia,
Uma é mãe, a outra, é filha.
 
Com um pé na avenida,
E o outro na montanha,
Subo escada e desço morro,
 
E já perto da partida,
Nesta angústia tamanha,
Às vezes, peço socorro!

 
elzio
Enviado por elzio em 02/04/2018
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários


Imagem de cabeçalho: raneko/flickr