Textos


Divisão
 
Como uma brasa, ardente,
Que queima a alma da gente,
Sem dó e sem piedade,
Essa crise, que separa,
Que divide, e não para,
De fustigar a sociedade,
 
É doença, endemia,
Que não se viu, nem se via,
Na nossa terra natal.
Até mesmo a justiça,
Se dividiu, nessa liça,
Do campo e da capital.
 
Dentro da mesma família,
A mãe, não fala com a filha,
Porque a política desuniu.
Uma quer a punição,
A outra, acha que não,
Que ele não roubou, ou mentiu.
 
Ninguém é justo e perfeito,
Mas, se não andar direito,
Na constituição que nos rege,
Tem de ser trancafiado,
Como qualquer celerado,
Porque é a lei, que nos protege.
 
Havia um sonho, quimera,
De se abater essa fera,
Da neoescravidão.
Mas, esse sonho sonhado,
De todos, nos foi roubado,
Por um ousado ladrão.
 
Ele nos roubou a esperança,
Como se subtrai da criança,
Um pirulito da mão.
Órfão da honestidade,
A nossa triste sociedade,
Espera um líder, em vão!

 
 
 
elzio
Enviado por elzio em 09/04/2018
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários


Imagem de cabeçalho: raneko/flickr